quarta-feira, 18 de abril de 2018

Camisas de futebol mais comuns no Brasil



No post passado, mostrei quais são as camisas e uniformes mais comuns no futebol europeu. Aí apareceu a inevitável curiosidade: será que no Brasil os resultados seriam iguais?

Para responder a essa pergunta, pesquisei todos os times que disputam o Campeonato Brasileiro em 2018, nas suas quatro divisões, totalizando 128 equipes. Assim como na Europa, o design das camisas foi limitado a seus elementos básicos, ou seja, frisos e adereços não são considerados. Pequenas variações de cor também foram homogeneizadas (por exemplo, só foi contado um tipo de vermelho, um verde e dois azuis). Em todos os casos, foi considerado o uniforme número 1 (home) de cada equipe. Em casos de clubes que mudam o layout quase todo ano (algo muito comum na Série D), busquei descobrir qual a versão historicamente mais comum e, na dúvida, contei o modelo mais simples.

Uniformes mais comuns


O uniforme mais comum no Brasil é também o mais simples – todo branco, da camisa às meias. Jogam com essa cor um total de 11 equipes: Santos, ABC, Bragantino, Cuiabá, Luverdense, Salgueiro, Aparecidense, ASA, Ceilândia, Espírito Santo e Santos-AC. Coincidência ou não, o segundo uniforme mais comum do País corresponde ao uniforme reserva do Santos, ou seja, camisa listrada alvinegra, calções e meias pretas. Os 9 times que usam essa combinação são Ceará, Figueirense, Botafogo-PB, Tupi, Americano, Central, Corumbaense, São Raimundo e Treze (note-se que o Atlético-MG não está na lista porque joga com meias brancas, e o Botafogo, com meias cinzas).

Vale mencionar que, se contarmos separadamente a camisa, o calção e a meia, o resultado muda um pouco: o uniforme mais comum passaria a ter camisa vermelha, com calção e meias brancas. Igual que o Internacional e igual que o resultado da Europa, pelo mesmo critério.

Camisas mais comuns


Considerando apenas as camisas, vejamos quais são os modelos mais comuns no Brasil. As 5 apresentadas abaixo correspondem a 48% dos times do País, ou seja, quase metade dos clubes usam um destes modelos. Outro detalhe: todos as camisas mais comuns são usadas por pelo menos um dos 12 “grandes” do Brasil.

1º lugar: inteira vermelha (14 times). Assim como na Europa, esse também é o modelo mais popular no Brasil. Os times mais famosos que o usam são Internacional, Vila Nova e América-RN.

2º lugar: listrada preta e branca (13 times). Só na Série A do Brasileirão temos três times: Atlético-MG, Botafogo e Ceará.

3º lugar: inteira branca (12 times). O uniforme mais comum é todo branco, mas a camisa sem cor é apenas a terceira mais popular. Exemplos famosos que usam branco são Corinthians, Santos e ABC.

3º lugar: inteira verde (12 times). O verde é uma cor pouco usual na Europa, mas é bem popular por aqui. Entre os times esmeraldinos estão Palmeiras, Guarani e Chapecoense.

5º lugar: inteira azul (11 times). Usam essa camisa, entre outros times, Cruzeiro e Remo.

Camisas raras


Aproveito o levantamento para destacar, também, algumas camisas únicas, que só são usadas por um time em todas as divisões do Campeonato Brasileiro:

Paraná: é o único time com a camisa dividida ao meio na vertical (no caso, em vermelho e azul).

Joinville: outro design único, com uma faixa larga preta no centro da camisa vermelha.

Criciúma: a divisão horizontal do uniforme em três cores, amarelo, preto e branco, é única no Brasil.

Nova Iguaçu: é o único time com camisa laranja.

Fortaleza: usa listras horizontais, nas cores vermelho, branco e azul.

Grêmio: as camisas dos “grandes” costumam estar entre as mais comuns do Brasil. Mas não a do Grêmio, que é o único time a usar listras azuis, pretas e brancas.

Náutico: na Europa, 10 times usam listras verticais vermelhas e brancas. Curiosamente, no Brasil, o Náutico é o único que joga com esse modelo.

Sampaio Corrêa: tem a camisa listrada nas cores verde, vermelha e amarela. Estou apresentado camisas únicas, não necessariamente camisas bonitas...

Por fim, vale notar que no Brasil, assim como na Europa, nenhum time joga com as cores cinza, marrom, bege ou rosa na camisa. Por que será?

quarta-feira, 28 de março de 2018

Camisas de futebol mais comuns na Europa



Não há dúvidas de que o Real Madrid é um dos times mais importantes do mundo. Mas o uniforme que a equipe usa – todo branco – não é nada criativo. E daí vem a questão: seria esse o uniforme mais comum da Europa? E a cor branca na camisa, é a mais usada? Se não forem, quais são?

Para matar a curiosidade, fiz um levantamento de todos os times que disputam a primeira divisão dos 11 campeonatos nacionais mais importantes da Europa (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha, França, Portugal, Holanda, Rússia, Ucrânia, Turquia e Escócia), totalizando 208 equipes.

De modo a permitir a contagem e comparação, o design das camisas foi limitado a seus elementos básicos, ou seja, frisos e adereços não são considerados. Pequenas variações de cor também foram homogeneizadas (por exemplo, só foi contado um tipo de vermelho, um verde e dois azuis). Em todos os casos, foi considerado o uniforme número 1 (home) de cada equipe, para a temporada 2017/18. Em casos de layouts mais excêntricos, foi feita uma pesquisa para confirmar se o desenho atual corresponde à história do clube ou se é uma “invenção” para esta temporada – neste caso, foi contado o visual mais simples e historicamente mais comum.

Uniformes mais comuns

Feitas as contas, podemos dizer que o uniforme mais comum na Europa é todo vermelho, usado por 15 times diferentes: Liverpool, Dijon, Metz, Rennes, Twente, Utrecht, Aberdeen, Rubin, Spartak Moscow, Ufa, Standard Liège, Oostende, Zulte-Waregem, Kayserispor e Sivasspor. 

Em segundo lugar, ficou o uniforme do Real Madrid, que é usado por 11 equipes: Swansea, Borussia Mönchengladbach, Amiens, Olympique de Marselha, Dynamo Kiev, Vorskla, Zorya, Karpaty, Besiktas e Kasimpasa, além do Real Madrid.

Uma curiosidade: se contarmos separadamente a camisa, o calção e as meias, o uniforme mais comum passa a ser uma combinação dos outros dois, com a camisa vermelha e o resto branco. No entanto, poucos times usam exatamente essa combinação (AZ e Arsenal seriam os que chegam mais perto).

Camisas mais comuns


Contando apenas as camisas, vejamos quais são as mais comuns da Europa (os 5 modelos abaixo correspondem a mais de 40% do total de clubes):


1º lugar: inteira vermelha (25 times). Exemplos famosos são Liverpool e Manchester United

2º lugar: inteira azul (19 times). Exemplos famosos são Chelsea e Everton

3º lugar: inteira branca (18 times). Os mais famosos são Real Madrid e Olympique de Marselha

4º lugar: listrada azul e branca (12 times). É o caso de Porto e Hertha Berlim
 
4º lugar: inteira amarela (12 times). Usam essa cor Villarreal e Nantes, por exemplo


Camisas raras


Se indicamos os times que têm as camisas e uniformes mais comuns, também vale destacar alguns que usam trajes únicos, que não são repetidos por nenhum dos mais de 200 times pesquisados. São eles:

Monaco: camisa dividida ao meio, em diagonal, vermelha com branco

NAC: camisa amarela, com faixa diagonal preta (é o único time da Europa com essa faixa, que é muito comum na América do Sul)

Sampdoria: camisa azul, com faixas horizontais no peito, nas cores branca, vermelha e preta

Marítimo: camisa com listras horizontais verdes e vermelhas (sim, igual à Portuguesa de Desportos)

Fenerbahçe: camisa com listras verticais azuis e amarelas

Willem II: camisa com listras verticais brancas, vermelhas e azuis

Shakhtar Donetsk: camisa com listras verticais pretas e laranjas

Boavista: camisa xadrez preto e branco (vale mencionar também o Moreirense, que usa igualmente o xadrez, nas cores verde e branco)

Curiosamente, entre os 208 clubes pesquisados, há cores que não aparecem nenhuma vez. É o caso de cinza, bege, marrom e rosa (sim, o Palermo é rosa, mas ele está na segunda divisão). Elas aparecem nos segundos e terceiros uniformes de algumas equipes, mas ninguém as têm como cores principais. Fica a dica para quem quiser se diferenciar...

terça-feira, 13 de março de 2018

O Ranking de Seleções e a Copa do Mundo de 2018



Como 2018 é ano de Copa do Mundo, é interessante usar o Ranking de Seleções do blog para fazer algumas análises e projeções sobre o torneio.

Comecemos pelos cabeças-de-chave. De acordo com o ranking do blog, os times que deveriam ter sido escolhidos são Alemanha, Argentina, Brasil, Portugal, França, México e Colômbia, além da Rússia. Em comparação com as escolhas da FIFA, há apenas duas diferenças: México e Colômbia, no lugar de Bélgica e Polônia.

Ter os poloneses como cabeças-de-chave foi o grande absurdo do sorteio, que expôs as falhas do ranking oficial. Por sorte, esse erro foi compensado pela Colômbia ter caído no mesmo grupo. Os mexicanos, por outro lado, se deram mal e acabaram ficando no grupo da melhor seleção do mundo.

Não por acaso, o grupo F se destaca como a chave mais difícil da Copa, de acordo com o Ranking de Seleções. Além da número 1 do mundo (Alemanha), tem os mexicanos, que são o número 6 (entre os 32 classificados para o Mundial) e a Coreia, número 12 (e da Suécia, 27). No outro extremo, a chave moleza é a A, onde o único time respeitável é o Uruguai (10º entre os 32 da Copa). Os outros três integrantes, Egito, Arábia Saudita e Rússia, estão entre as 8 piores equipes do Mundial.

Os outros seis grupos estão relativamente equilibrados. Pode-se dizer que a chave do Brasil é um pouco mais difícil que a média, pela presença de Costa Rica e Suíça, e que o grupo da Bélgica (nenhum time entre os 8 melhores; só os belgas entre os 16) é o segundo mais fraco do torneio.

Simulando a Copa do Mundo


E se os resultados da Copa do Mundo de 2018 seguissem exatamente o Ranking de Seleções do blog? Vejamos como seria o torneio:

OITAVAS-DE-FINAL
Uruguai x Espanha
França x Croácia
Brasil x México
Bélgica x Japão
Portugal x Egito
Argentina x Austrália
Alemanha x Costa Rica
Colômbia x Inglaterra

QUARTAS-DE-FINAL
Uruguai x França
Brasil x Bélgica
Portugal x Argentina
Alemanha x Colômbia

SEMIFINAIS
França x Brasil
Argentina x Alemanha

FINAL
Brasil x Alemanha

CAMPEÃO: Alemanha

Primeiro alerta: resultados passados não são garantia de vitórias no futuro. Esta simulação é feita por meio do Ranking de Seleções, que se baseia exclusivamente nos resultados passados das equipes e, por isso, está longe de ser um indicador preciso para elaborar previsões.

Dito isso, os “palpites” do ranking, em geral, são bem razoáveis. Há duas ou três surpresas nas oitavas-de-final, mas todas seriam eliminadas já nessa etapa. E ninguém se surpreenderia em ver a Alemanha bicampeã, como previsto. Aliás, os 4 semifinalistas indicados pelo ranking batem com minhas apostas pessoais. Trata-se até de uma previsão meio óbvia, já que os caminhos de França, Brasil, Argentina e Alemanha até as semis têm tudo para serem tranquilos – excetuada alguma grande bobeada, o único time que teria condições reais de ameaçar um dos quatro é a Espanha, que poderia tirar o lugar da França.