quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Os estreantes da Copa do Mundo de 2018


Como previsto em 2015, o Panamá
será um dos estreantes na Copa de 2018
Desde 1999, mantenho a tradição de publicar uma lista com os 10 países que têm melhores chances de se classificar pela primeira vez para uma Copa do Mundo. Em 2015, não foi diferente: postei aqui no blog uma lista com 10candidatos a ir para o próximo Mundial. A novidade? Pela primeira vez, eu acertei na mosca!

Na lista publicada em julho de 2015, Panamá e Islândia apareciam exatamente nas duas primeiras posições. As indicações eram baseadas no bom desempenho de panamenhos e islandeses nas Eliminatórias anteriores e no fato de que ambos tinham adversários relativamente fáceis em seus caminhos.

Agora que as Eliminatórias estão encerradas, podemos, a título de curiosidade, conferir quais foram os 10 novatos que chegaram mais perto de conseguir uma vaga na Copa de 2018, e assim fazer a comparação com a lista de 2015:

1) Islândia – classificada para a Copa do Mundo
2) Panamá – classificado para a Copa do Mundo
3) Uganda – ficou em 2º lugar em seu grupo na África, a 4 pontos do líder
4) Burkina Fasso – ficou em 2º lugar em seu grupo na África, a 5 pontos do líder
5) Zâmbia – ficou em 2º lugar em seu grupo na África, a 6 pontos do líder
6) Síria – chegou ao playoff da Ásia, quando foi derrotada pela Austrália
7) Montenegro – ficou em 3º lugar em seu grupo na Europa, a 4 pontos de uma vaga nos playoffs
8) Albânia – ficou em 3º lugar em seu grupo na Europa, a 10 pontos de uma vaga nos playoffs
9) Uzbequistão – ficou em 4º lugar em seu grupo na Ásia, perdendo a vaga nos playoffs pelo saldo de gols
10) Gabão – ficou em 3º lugar em seu grupo na África, a 6 pontos do líder

Das 10 equipes que mais chegaram perto de estrear em 2018, 6 estavam na lista publicada em 2015: Burkina Fasso, Zâmbia, Albânia e Uzbequistão, além de Panamá e Islândia. Dada a dificuldade de fazer previsões com tamanha antecedência, foi um índice de acerto bem alto.

Entre os 4 times não previstos, um merece destaque: a Síria, que protagonizou o grande “conto de fadas” destas Eliminatórios. Os sírios não tinham um grande time, enfrentam uma guerra civil sangrenta, perderam vários jogadores por questões políticas e não puderam mandar seus jogos no país. Mesmo assim, chegaram até a repescagem asiática, onde venderam caro a eliminação para a Austrália. O elenco sírio merece todas as homenagens possíveis.

Vale também mencionar o caso das Ilhas Salomão. Por ter chegado à última fase das Eliminatórias da Oceania, a equipe deveria aparecer na lista acima (em 7º lugar). No entanto, a verdade é que seria preciso um milagre de proporções bíblicas para essa seleção superar Nova Zelândia e Peru e chegar ao Mundial. Por esse motivo, os salomônicos foram omitidos.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Campeonatos mais equilibrados do mundo em 2016-17



Confira a seguir a nova edição do ranking que mede o equilíbrio dos principais campeonatos de futebol do mundo. A metodologia para elaboração da lista está explicada neste link.

Pos
Campeonato
Índice
1
Campeonato Brasileiro (Série A) 2016
62,27
2
Campeonato Brasileiro (Série B) 2016
61,73
3
Campeonato Alemão 2016/7
56,19
4
Campeonato Argentino 2016/7
55,98
5
Campeonato Turco 2016/7
52,52
6
Campeonato Francês 2016/7
50,56
7
Campeonato Holandês 2016/7
46,43
8
Campeonato Português 2016/7
46,11
9
Campeonato Grego 2016/7
46,02
10
Campeonato Escocês 2016/7
45,07
11
Campeonato Russo 2016/7
44,90
12
Campeonato Inglês 2016/7
42,94
13
Campeonato Italiano 2016/7
38,95
14
Campeonato Espanhol 2016/7
38,11
15
Campeonato Ucraniano 2016/7
30,39
*Fazem parte do ranking os 15 principais campeonatos nacionais, dentre aqueles que são disputados por pontos corridos

Nos dois extremos da lista, nenhuma novidade: o Campeonato Brasileiro (tanto a Série A quanto a Série B) segue sendo o mais equilibrado do mundo, enquanto o Ucraniano é, pelo 6º ano seguido, o mais desigual.

Em relação ao ranking do ano passado, uma diferença chama a atenção. Três dos campeonatos mais importantes do mundo – Espanhol, Italiano e Inglês – perderam equilíbrio e agora se encontram no pé da tabela. Outro campeonato importante que caiu foi o Francês: o torneio costumava se aproximar do Brasileiro entre os mais equilibrados, mas este ano ocupa apenas a 6ª posição da lista. Entre os torneios “top”, a única exceção é o Alemão. Apesar do título fácil do Bayern, a Bundesliga 2016-17 teve um índice alto de equilíbrio, tornando-se o mais nivelado entre os campeonatos europeus.